06 07 sbcat ProfLan noticiaOs eventos que marcaram minha vida profissional são repletos de decisões, oportunidades e sorte. Sorte, especialmente, em encontrar mentores.

A Universidade de Hong Kong, não tem curso de Engenharia Química. Estudei Química e Matemática acreditando poder trabalhar em química aplicada. A Matemática abstrata ensinou-me bem a raciocinar. Em 1972, escolhi a catálise entre os vários cursos de pós-graduação em química aplicada: indústria de papel, geoquímica etc. Assim, tive minha primeira oportunidade e sorte. Fui para Universidade de Stanford sendo orientado pelo Prof. Michel Boudart, pioneiro na área de catálise. Durante doutoramento fiquei como o primeiro estagiário no programa EXXON-Stanford em catálise, orientado pelos doutores John Sinfelt e Robert Garten. Ao conhecer pesquisas e pesquisadores da companhia EXXON, não tive mais duvida de que a catálise é uma área com imensas oportunidades e aplicações.

Depois doutorado, dentre as oportunidades, escolhi a oferta especial do Instituto Militar de Engenharia (IME). A catálise no Brasil estava se iniciando e viver no Rio de Janeiro me-inspirou. A escolha foi bem recompensada. Os excelentes alunos do IME motivam os professores. E logo após chegou o Professor Roger Frety, com larga experiência em pesquisa. Desenvolvemos uma linha de pesquisa de interesse específico brasileiro: o craqueamento de óleo vegetal para obtenção de combustível diesel.

Após oito anos no IME, várias possibilidades sugiram: consultoria na Bahia e posições nas universidades, porém o mais atraente foi como pesquisador no Centro de Pesquisa da Petrobras (CENPES). Em 1985, iniciei pesquisas em catalisadores de craqueamento catalítico (FCC) fazendo um estagio na AKZO-CHIMIE: em um laboratório de um fabricante industrial, mas, que foi uma escola para mim. Parti da área de catálise por metais e entrei para a catálise por zeólitas.

Em 1990, o Dr. Leonardo Nogueira, Chefe do Setor de Desenvolvimento de Catalisadores (SEDEC) e mentor criador do grupo de catálise no CENPES se aposentou. Aceitei o desafio como seu sucessor,quando fui eleito pelos colegas. Reduzi, então, muito a colaboração com a comunidade de catálise: às universidades e à Comissão de Catálise (o precursor da SBCat). Só poderia ter uma prioridade: SEDEC. Aprendi muito: não somente na administração de pesquisa, mas a ser humilde. Aprendi como reconhecer os talentos e a dedicação de tantos colegas. Não devo citar nomes com medo de omissão.

Optei por voltar a ser pesquisador após três anos. Retornei a colaborar com a Comissão de Catálise, sob a liderança dinâmica do Prof. Martin Schmal. O grupo maduro de pesquisa em FCC estava colhendo frutos. Em 2002, realizamos a produção industrial de zeólita ZSM-5 com tecnologia inteiramente brasileira (Após ser compartilhada com Akzo-América, virou uma rota mundial). Novas rotas de preparo e novos aditivos foram desenvolvidos e colocados na prática. Iniciando com a pesquisa básica de um catalisador no laboratório e finalizando com sua aplicação nas refinarias da Petrobras, foi a realização de um sonho.

Por volta de 2006, a Petrobras criou numerosas redes temáticas para gerenciar o grande recurso para projetos de pesquisa junto às instituições nacionais. O gerente representante da área de catálise Oscar Chamberlain no CENPES designou-me o interlocutor técnico da Rede de Desenvolvimento de Catálise. Com a alta confiança da chefia, as grandes motivações das universidades e as experiências acumuladas na indústria, o intercâmbio Indústria-Universidade foi realizado com grande êxito. Criamos grupos de pesquisas em zeólitas, abatimento de emissões e incorporações de biomassa. Junto com os colegas do CENPES e das universidades ganhamos prêmios de invenção praticamente a cada ano, durante mais do que uma década.

Aposentei-me do CENPES em 2016 e mantenho colaboração com grupos de pesquisas industriais e acadêmicas. Agora estou com um novo paradigma: a vida não se trata do que já foi realizado, mas o que ainda está para ser realizado.

Yiu Lau Lam

06 07 sbcat Noticia processoseletivoO Instituto Militar do Exército abrirá, no dia 20 de julho, as inscrições para o Processo Seletivo para o 3° período de 2020, nas modalidades de Mestrado e Doutorado. As linhas de pesquisa contempladas são:

  • Química de Materiais e Materiais Energéticos;
  • Química Medicinal, Defesa Química e Substâncias Bioativas;
  • Energia, Catálise e Tecnologias Sustentáveis.

As incrições poderão ser realizadas até o dia 24 de julho. A seleção acontecerá nos dias 26 e 27 de agosto. Devido à pandemia, o processo seletivo será realizado totalmente à distância.

Para mais informações, clique AQUI

03 07 sbcat liveAlexandre NotíciaVocê já ouviu falar em tecnologias envolvendo grafeno e carvão ativado? O próximo convidado das Terças Tecnológicas Lives será o pesquisador do INT, Alexandre Gaspar. Ele falará sobre o tema “Tecnologias do Grafeno e do Carvão Ativado”, na próxima terça-feira (7 de julho). A live será transmitida, ao vivo, pelo Instagram, às 15h.

As Terças Tecnológicas Lives constituem um bate-papo com um pesquisador convidado, transmitido ao vivo. O evento é realizado por mais de 15 anos, no auditório do INT. Por conta do isolamento social como medida de proteção contra o novo coronavírus, o evento passou a ter um novo formato e está sendo realizado em uma nova mídia.

Clique AQUI para acessar o perfil.

26 05 SbCat noticia sensoA Sociedade Brasileira de Catálise está fazendo um Censo para levantar o número de pesquisadores e grupos de pesquisa que trabalham na área de catálise, bem como as áreas de pesquisa em catálise. A ideia é termos esta base de dados para promover ações de colaboração entre os grupos, formação de redes, compartilhamento de infraestrutura entre outras ações. Sendo assim, é muito importante que todos respondam o formulário no link abaixo (que é muito simples e rápido).

Devido a baixa adesão e a importância desse levantamento para elaborarmos ações mais efetivas visando beneficiar a comunidade catalítica levando em conta sua diversidade, prorrogamos o prazo até 31 de julho de 2020. Pedimos, também, que nos auxiliem a divulgar este Censo para que possamos englobar o maior número de pesquisadores em catálise do Brasil.

Por favor, encaminhe o link para todos os seus contatos pessoais e grupos de pesquisa que trabalhem com catálise e áreas afins, mesmo os não sócios, para que possamos ter uma noção confiável do tamanho da nossa comunidade.

15 06 SBCAT 2020 encontroRegionalData: 02/07 a 03/07

Prezados Membros da Comunidade Catalítica:

A Regional 4 da Sociedade Brasileira de Catálise tem o prazer de convidar profissionais e estudantes a participarem do 1º Encontro Regional de Catálise da Região Sul (1º ERCAT-SUL).

O evento será sediado no Instituto de Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre e ocorrerá de forma totalmente remota, nos dias 02 e 03 de julho de 2020.

O tema do 1º ERCAT-SUL "Catálise: superando os desafios atuais" enfatiza as novas possibilidades que definirão o avanço da catálise nos próximos anos, abordando desde os conceitos básicos até os processos avançados.

O evento constará de conferências plenárias, sessões orais e sessões de painéis, além de uma visita virtual a uma indústria local. O programa reflete o importante papel da catálise no desenvolvimento da química, direcionada para a superação dos desafios atuais.

As inscrições e outras informações estão disponíveis AQUI

A Comissão Organizadora do 1º ERCAT-SUL espera ansiosamente pela participação de todos vocês!

Topo